HOMEM DE GELO AGORA É GAY - POIS É---

Bom, você já deve saber a essa altura do campeonato que mais um personagem das HQs assumiu ser homossexual - e que só não havia feito ainda porque ser mutante E gay ao mesmo tempo num mundo como o "nosso" é algo muito complicado.

Estou falando de Robert Drake, o Homem de Gelo, membro original dos X-Men, criado em 1963 por Stan Lee e Jack Kirby.

Quer dizer, na verdade, quem assumiu ser gay foi a contraparte deste, a versão jovem, saída de uma viagem ao passado que outro X-Man, o Fera, fez para tentar retomar os trilhos da equipe e do mundo mutante após Ciclope ter matado o Professor X e se bandeado para os lados de Magneto.

Eu realmente não faço ideia do que Stan Lee pensa a respeito disso, muito provavelmente ele soltaria um comunicado discreto, botando panos quentes na situação e talvez até mesmo dizendo que já via no personagem tendências homossexuais. Sei lá, cada um pensa como quer.

Mas eu particularmente, embora não leia HQs há uns tempos, nunca havia percebido nenhum resquício disso no personagem. O único resquício do personagem é que ele nunca, jamais, de maneira alguma, foi desenvolvido da mesma forma que Ciclope ou Jean Grey, ou até mesmo Destrutor e Polaris tenham sido.

O Anjo também poderia ser gay. Muita gente acharia que faz sentido. Mas o problema não é que ele tenha algo de gay. O problema é que ele não tem nem algo gay, nem algo hétero.

Brian Michael Bendis, o "gênio" por trás dessa revolucionária revelação encerra sua participação na revista dos mutantes, na edição 40, de uma forma polêmica. Só que, com uma polêmica rasa; sem nada que possamos digerir pelos próximos tempos.

Você pegar um cara como o Ciclope, que perdeu os pais adotivos e acreditava que os biológicos estavam mortos; que amava um cara como se fosse seu próprio pai; que amava uma mulher mais que a própria vida - a ponto de casar-se com outra exatamente igual à ela e depois descobrir que era um clone da primeira; trair essa mulher com uma outrora inimiga; assassinar o cara que tinha como pai; se aliar com um camarada que tinha como inimigo jurado--- isso sim é mudar.

Agora, de uma hora para outra, o cara se torna gay, que escondeu seus sentimentos por 40 longos anos e que gosta mesmo é de homem e se envolve com mulheres só para 'não ficar chato'. Não, isso é conversa fiada.

Chegaram a dizer que muita gente já havia percebido que o personagem apresentava tendências gays há muito tempo.

Tá bom então.

Acho que para a comunidade LGBT, seria muito mais justo e interessante que se criasse um personagem já homossexual, com tudo o que tem direito. Tentar tirar personagens do armário só servem para vender uma edição ou outra. Mas, e depois?

Comentários

Até que enfim um retorno triunfal. Agora só falta trazer o Disqus de volta para os comentários. Acho que eu tinah assinado aqui para sempre ver os posts novos, chegou no meu e-mail agora pouco sobre esse post aqui. Parei de lhe acompanhar na outra plataforma, mas pela plataforma em sí que não me convenceu. Gosto pra cacete dos textos daqui, embora não concorde com muitos, o sr escreve de uma maneira parecida comigo: apenas diz o que pensa de maneira convincente. Não fica enfeitando uma situação, sendo educadinho com "veja bem, isso aqui não pode ser levado a sério", "veja só, esse filme não é ruim, vocês que vão procurando defeitos" e afins. Eu gosto do Bendis, embora eu não o leia na atualidade, eu lia ele quando ele tinha os New Avengers e gostava bastante, ao contrários dos filmes dos Vingadores...
Vagner Francisco disse…
Grande Ozy.
Primeiramente, muito obrigado pelas suas considerações.
Eu gostei dos roteiros do Bendis em dois títulos: Alias - quando era pelo MAX - e Demolidor. De resto, foi apenas mais do mesmo.
O que acho exatamente que ele fez nesse título dos X-Men.

Cheguei a ler noutros lugares que, por causa desse "choque" de realidades - já que os jovens X-Men saíram lá dos confins de 1963 e vieram parar aqui, na modernidade do século 21 e por isso eles alteraram um pouco o seu modus vivendi. Ok.
Agora, ter uma reação a certas realidades é uma coisa; mudar sua preferência amorosa é outra completamente diferente.
Mas enfim--- tamos ae, de volta!
Eu gosto bastante do Ultimate Spiderman que ele fez, isso antes de encerrar e fazer o Miler Morales, ali eu comecei a ler, mas não tive paciência, até hoje muita gente louva como "revolucionário".

Postagens mais visitadas deste blog

A ARTE DE JOSÉ LUIS GARCÍA-LÓPEZ

ELLEN ROCHE COMO LARA CROFT

ME SENTINDO COMO VAL KILMER - 2