NA FRONTEIRA DA REALIDADE


Victor é afastado do seu cargo de policial, o motivo: sua esquizofrenia em estágio avançado. Após ser demitido, Victor passa a viver um chato e vazio cotidiano, o que aumenta suas crises de alucinações e paranóias. Em paralelo, uma série de assassinatos ocorre sempre tendo como vítima algum ex-colega de Colégio de Victor. Em cada assassinato é deixada uma partitura de música popular escrita com o sangue da vítima. Mesmo doente, Victor começa a investigar por conta própria os assassinatos e com sua doença em um momento tão delicado, ele passa a ter diversas alucinações, mas seriam mesmo alucinações? De fato, Victor não sabe. Ele passa a viver sem a certeza do que é real e do que é fruto da sua imaginação e nesta loucura que é viver sem certezas, nosso protagonista passa ao leitor esta mesma sensação, confundindo quem lê sobre quais cenas do livro de fato acontecem e quais são frutos da imaginação de Victor.

Na Fronteira da Realidade é um livro escrito por meu amigo, Gabriel Billy, entre outras coisas escreveu as duas primeiras edições da saga Libertas e coloriu a capa da edição impressa de Val # 3.

Fica aí a dica então do grande trabalho e força narrativa de Billy. Mais detalhes, clique aqui.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A ARTE DE JOSÉ LUIS GARCÍA-LÓPEZ

ELLEN ROCHE COMO LARA CROFT

ME SENTINDO COMO VAL KILMER - 2