CONTINUO SELVAGEM

Você já percebeu como o atendimento é ruim, no Brasil?

Pra tudo, você tem dificuldades. E a falta de educação do brasileiro aumentou.

Lembro-me que antigamente [isso quer dizer, uns dez anos atrás], quando alguém estava em pé no ônibus, e um outro passageiro, sentado, se levantasse para descer, essa primeira pessoa esperava alguns momentos, até para o banco "esfriar".

Hoje, as pessoas se estapeiam para sentar primeiro. Todos estão cansados, todos têm direitos e todos são melhores que os outros.

Uma vez, estava eu na fila para pegar um coletivo. De repente, um senhor no alto de seus sessenta e cinco anos, veio correndo e, como se não houvesse ninguém ali, pulou pra dentro do veículo, me empurrando.

Noutra ocasião, havia uma fila enorme - mais de vinte pessoas - aguardando o ônibus. Veio uma moça e se sentou num banco, fora da fila. Quando o ônibus encostou, ela simplesmente subiu, antes de qualquer um ali, sem nem pestanejar.

Falta de educação, falta de empatia, de solidariedade, bom senso e consciência estão acabando com nossa reputação.

No banco também está assim. Fui pagar uma conta semana passada e na minha frente tinham oito pessoas. Fiquei aproximadamente uma hora para ser atendido. Uma hora para cinco caixas atenderem oito pessoas, veja que interessante.

Mas a bem da verdade não é essa. Há um biombo entre os clientes e os caixas, por isso não vemos o que está acontecendo. Quando chegou a minha vez, percebi: os cinco caixas estavam parados. Contando dinheiro, conversando, arrumando elásticos. E nós, o povão lá, aguardando e aguardando e aguardando.

Não digo nem "bom dia, boa tarde" ou "tudo bem"; simplesmente jogo meu dinheiro com o comprovante de pagamento e aguardo; o caixa me entrega e simplesmente saio.

Sou mal-educado com quem é mal-educado comigo.

Às vezes parece que o universo conspira contra a nossa força, pra nos derrubar, pra nos deixar domesticados. Mas eu não sou! Não aceito ser domesticado.

Continuo selvagem.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ELLEN ROCHE COMO LARA CROFT

A ARTE DE JOSÉ LUIS GARCÍA-LÓPEZ

ME SENTINDO COMO VAL KILMER - 2