ALAN MOORE CONTINUA CANSADO DOS SUPER-HERÓIS...


da Livraria da Folha

"Watchmen" é considerado um marco dos quadrinhos, especialmente no que diz respeito a super-heróis. Agora, seu criador Alan Moore diz estar farto do gênero.

Em entrevista ao jornal inglês "Stool Pigeon", o quadrinista disse que embora o atraísse o super-herói na vida real, falando do número de manifestantes utilizando a máscara de seu personagem V - de "V de Vingança"--, estes não eram atraídos para a graphic novel.

"Eu refleti sobre o distanciamento deles recentemente. Cheguei à conclusão de que o super-herói, em sua encarnação atual, pode ser um símbolo da relutância norte-americana de se envolver em qualquer tipo de conflito", disse Moore.

Para ele os super-heróis representavam "uma fonte de imaginação". "Superman tinha um cachorro com uma capa! Ele tinha uma cidade em uma garrafa! Era um material maravilhoso para um menino de sete anos pensar", explicou. "Mas eu desconfio que um monte de super-heróis sã, basicamente, sobre a luta desleal. Você sabe, as pessoas não me intimidariam se eu pudesse girá-las como o Huck".

Além disse, Moore está decepcionado com a queda da qualidade dos quadrinhos desde a publicação de seu "Watchmen".

"Nada mais sofisticado foi lançado em quadrinhos nos 25 anos seguintes, o que eu acho profundamente deprimente, porque foi algo que ampliou as possibilidades das HQS, em vez do que aparentemente se tornou - um bloqueio psicológico enorme que o resto da indústria ainda tem que descobrir como contornar".

Alan Moore é reconhecido por suas declarações polêmicas e seu jeito recluso. Desde a adaptação de "Do Inferno", recusa-se a participar de outras produções, inclusive da elogiada versão de "Watchmen" dirigida por Zack Snyder.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A ARTE DE JOSÉ LUIS GARCÍA-LÓPEZ

ELLEN ROCHE COMO LARA CROFT

ME SENTINDO COMO VAL KILMER - 2