Hustle & Flow - Ritmo de Um Sonho


“Todos têm o direito de sonhar.” Esse é o mote de Hustle & Flow - Ritmo de Um Sonho, filme de 2005, indicado aos Oscar’s de melhor canção, “It´s Hard Out Here For a Pimp”(traduzindo:“A Situação É Difícil Lá Fo ra Para Um Cafetão”), e melhor ator, Terrence Howard.
Acabou levando o prêmio de melhor canção.
Mas o que há de tão especial num filme que conta uma história até batida, de um sonhador em sua luta contra tudo e contra todos para atingir seus objetivos? Bom, nada! Mas... Em Hustle & Flow não há concessões, não há maquiagem, não há enfeites.
Djay (Terrence, espetacular no papel) é um cafetão de quinta categoria, em crise de meia idade. Ele percebe que agenciar suas prostitutas por 20 dólares não é algo que irá lhe satisfazer pelo resto da vida.
Djay então pede ajuda a um velho amigo para tentar criar uma carreira no Hip Hop (seu sonho de infância).
Os diálogos e a luta de Djay e seus camaradas por um lugar ao sol da música são sensacionais.
E serve também de estímulo aos artistas do nosso país, que acham que não há espaço no nosso mercado. Djay também não tinha espaço e mesmo assim partiu pra cima, sem recursos, sem instrumentos (a forma como ele adquire um microfone de qualidade é antológica) e sem dinheiro.
A própria história da produção do filme também é um incentivo: Terrence Howard [que até aí não era nenhum “astro”, no máximo chegou a ser vilão de Vovó... Zona] passou um ano e meio recusando o papel, porque já não queria mais interpretar personagens canalhas. E os produtores não conseguiam financiamento para a realização do filme. Tudo só mudou quando John Singleton[+ Velozes + Furiosos], produtor executivo, cansou de esperar e tirou dinheiro do próprio bolso para financiar o projeto. Aí, Terrence acabou cedendo e interpretou seu melhor personagem. Mais: como Djay, ele entrou no radar de Hollywood e tornou-se gabaritado a participar de superproduções como Homem de Ferro [ganhando até mais que o próprio astro, Robert Downey Jr.] e Valente, com Jodie Foster e dirigido por Neil Jordan.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A ARTE DE JOSÉ LUIS GARCÍA-LÓPEZ

ELLEN ROCHE COMO LARA CROFT

ME SENTINDO COMO VAL KILMER - 2