Ahhh, LIV TYLER...

Olá, mes amis, tudo bens?

É verdade, assisti a O Incrível Hulk, nova tentativa da Marvel de ver uma de suas crias fazer sucesso nos cinemas. Pô, e já começa muitíssimo bem, com a escolha do ator para viver o Dr. Robert Bruce Banner: Edward Norton, de A Outra História Americana, Cartas na Mesa, Clube da Luta e Tenha Fé (nesse último, Norton estrelou e dirigiu), entre muitas outras produções em que ele sempre brilhou.

Para viver o grande amor de sua vida, Dra. Betty Ross, Liv Tyler, musa de todos os filmes em que atuou - e de quem falo mais, logo abaixo. O grande elenco é ainda completado com o excelente Willian Hurt, de Corpos Ardentes (numas cenas pra lá de quentes com Kathleen Turner, quando esta ainda era gostosa) e Tim Roth, que fez nada menos que o filme pra macho dos anos 1990: Cães de Aluguel, de Quentin Tarantino.

Já o diretor... Louis Leterrier dirigira o divertido Carga Explosiva e conseguiu fazer de Jason Sthatan um astro dos filmes de ação. Mas além disso, nada.

Em O Incrível Hulk ele não consegue nem mesmo fazer um filme divertido, transformando o bom elenco em canastrões de marca maior. Acho que essa é a pior interpretação de Norton em toda a sua promissora carreira. Aliás, ele sempre fora conhecido como o bom ator independente que nunca se vendeu ao esquemão hollywoodiano, ao lado de Matt Damon. Quando o cara finalmente encara um grande filme com grande orçamento, pega um péssimo diretor pela frente.

É bem verdade que o roteiro não ajuda em nada e até as tentativas de fazer comédia, se perdem devido ao fraco desempenho do filme.

Ainda fico com o Hulk de 2003, dirigido por Ang Lee, com Eric Bana, como Banner e Jennifer Connelly, como Betty Ross. Tudo bem, Lee caprichou no drama, mas ele usou tão bem os elementos (o próprio drama, comédia, ação, e a tela separada em 'quadros', lembrando uma HQ) que até hoje eu ainda me pergunto o que poderia ter dado errado com a produção. Todos aqueles elementos de Stan Lee, e as importantes contribuições de Peter David ao longo dos anos em que foi roteirista do gigante verde, estavam evidentes na tela. Já com essa versão de 2008, tudo ficou na ação. E pior... parece que o filme foi feito para inserirem pistas do vindouro filme do Capitão América. E só.

O final é esquisito (o Banner não queria se livrar do Hulk o tempo todo?) e a briga entre os dois 'monstros' é tão ruim que dá sono. No máximo, a gente fica procurando o controle porque parece que estamos frente a um enorme video game.

E o que se salva? Ahhh, Liv Tyler... essa deusa salva o filme do escracho. Liv Tyler, com seu rosto perfeito, suas curvas perfeitas, pernas maravilhosas e que consegue arrancar sentimento até do Monte Everest. Resumindo: se a produção de O Incrível Hulk acertou em algum lugar, foi na escolha de Liv Tyler porque essa sim é um monstro; monstro da mais pura beleza!

Ah, sim, tem o Robert Downey Jr, numa ponta como Tony Stark que também é legal.

Vamos esperar por Homem de Ferro 2, Thor, Homem-Aranha 4 e 5, Wolverine e quem mais vier. Sinceramente começo a perder as esperanças com filmes adaptados dos quadrinhos.

Li no Omelete esses tempos um comentário de James Marsden sobre o porquê de Superman - O Retorno, ter naufragado nas bilheterias, ao contrário do Batman - O Cavaleiro das Trevas. Ele disse que é porque o público hoje prefere personagens sombrios a puros e que achou o filme do kriptoniano perfeito. Ridículo! Superman - O Retorno, só foi mal nas bilheterias justamente porque é um filme ruim, independente de ser sombrio ou não. Tenho absoluta certeza de que Mark Millar, Brian Bendis, David S Goyer têm capacidade suficiente para escrever um excelente (e leve) roteiro para um filme do homem de aço. O que falta aos produtores é coragem para procurar por uma boa equipe.

Bom, chega! Até a próxima.

Comentários

Ed Pontes disse…
Ah, cara... esse filme do Hulk é uma bosta do tamanho dele. E eu que em algum momento cheguei a apostar nessa produção justamente por ter o nome do Norton envolvido. Mas deu em merda! O filme é ruim pra cacete. Feito pra fanboys! Acho que só eles curtiram a "ação" desgovernada com roteiro de Power Rangers turbinado. Acho que o maior problema foram as constantes brigas entre Norton e a Marvel Studios, alardiada aos quatro ventos por todos os sites por diferenças criativas, com Norton inclusive reescrevendo o texto. O diretor meio que ficou no meio do fogo cruzado, mas num tô querendo bancar o advogado do diabo não. Louis Leterrier tem sua parcela de culpa nessa muvuca toda. Achei a escolha de Norton como Banner ótima, mas ele deu um ar arrogante ao personagem. Ainda prefiro Jennifer Connelly como Betty, mas Willian Hurt como o pai dela saiu-se melhor. Liv Tyler tá gata como sempre, mas meio viadinha pro meu gosto! Tô contigo:ainda prefiro o Hulk do Ang Lee!

Postagens mais visitadas deste blog

A ARTE DE JOSÉ LUIS GARCÍA-LÓPEZ

ELLEN ROCHE COMO LARA CROFT

ME SENTINDO COMO VAL KILMER - 2